Sapatas Isoladas/Associadas são os tipos de fundação direta disponíveis no SISEs/TQS para a integração da fundação superficial com a super-estrutura.

Algumas das principais características do módulo de sapatas do sistema SISEs:

  • Discretização dos elementos de fundação em nós e barras e acoplamento ao modelo da super-estrutura;
  • Cálculo dos CRVs/CRHs ("molas" verticais e horizontais) para cada nó destes elementos discretizados;
  • Cálculo de CRV pelos métodos de Valores Padronizados e Ensaio de Placas;
  • Sapatas isoladas e associadas podem ser rígidas ou flexíveis;
  • Possibilidade de inserir vigas entre os elementos de fundação e no interior dos mesmos;
  • Montagem da estrutura global considerando os elementos de fundação e todas as vigas e pilares da super-estrutura criando dois modelos: um para CRV mínimo e outro para CRV máximo;
  • Resolução da estrutura completa para todos os carregamentos;
  • Visualização de resultados gráficos do pórtico espacial, solicitações e deslocamentos;
  • Emissão de desenhos de verificação: sondagem, plantas, cortes, isovalores;
  • Dois métodos de cálculo de tensões admissíveis: Tabela de tensões básicas (NBR6122/1996) e correlação empírica pelo SPT;
  • Cálculo dos recalques;
  • Apresentação de pressões e recalques através de gráficos com isovalores;
  • Emissão de relatórios com esforços, deslocamentos, envoltórias de esforços, resumo de tensões admissíveis, região tracionada, etc.

 

Arquivos de Critério de Projeto

Todo o processamento de sapatas é governado por critérios de projeto que podem variar de projeto a projeto. O engenheiro define tais critérios uma única vez que ficarão válidos para todos os projetos (editáveis posteriormente). Isto fornece uma grande flexibilidade para elaboração dos projetos conforme critérios particulares de cada empresa.

Editor de Sapatas Isoladas e Associadas

O editor de sapatas isoladas e associadas permite a rápida e fácil edição dos dados destes elementos. Esse editor possibilita a importação dos elementos lançados no modelador estrutural, quando realizado, e a sua edição pelo engenheiro responsável pela infra-estrutra. Caso seja necessário criar, eliminar ou alterar os elementos de fundação, este editor fornece comandos auto-explicativos para execução destas tarefas de forma prática e rápida. É possível também, a visualização das sapatas e das sondagens do projeto, gerando desenhos em planta e corte.

Um editor específico permite a entrada de dados de sapatas isoladas e associadas com suas respectivas grandezas e discretizações.

Vigas entre elementos e no elemento

Vigas entre elementos podem ser introduzidas com a finalidade de fazer a união entre duas sapatas, por exemplo, para o caso de travamento com vigas alavancas, bem como a definição de vigas no interior da sapata (enrijecimento de sapatas flexíveis).

Tipos

O SISEs trata sapatas isoladas e associadas, rígidas ou flexíveis, ambas retangulares. Através da definição de regiões complementares retangulares, associados às sapatas contíguas, quaisquer formatos de sapatas podem ser modelados.

Pórtico : Super-Estrutura + Infra-Estrutura

Após o processamento global é possível visualizar os pórticos gerados com a infra-estrutura agregada à super-estrutura em um único pórtico espacial, possibilitando a análise do projeto com todos elementos de forma conjunta e inédita. São criados dois pórticos para a análise do projetista: um com valores mínimos e outro com valores máximos de CRV/CRH devido a incertezas nas grandezas do solo.

Relatórios

Os relatórios gerados pelo processamento permitem a verificação dos resultados de esforços e deslocamentos obtidos para cada nó discretizado do elemento e cada caso de carregamento. Devido ao grande número de carregamentos, envoltórias também são apresentadas. Relatórios específicos e resumidos comparando as pressões atuantes com a pressão admissível para cada sapata são emitidos, além das eventuais tensões de tração que podem surgir.

Solicitações / Deslocamentos

Os deslocamentos e solicitações nas sapatas são obtidos pelo resultado do processamento do pórtico espacial, com as sapatas discretizadas em um conjunto de nós e barras atrelados a vínculos elásticos (CRVs e CRHs), que representam a contribuição de rigidez do contato sapata-solo.

Os esforços são calculados para toda a região da sapata, para cada barra discretizada e para cada um dos casos de carregamento definidos no projeto. Já os deslocamentos são obtidos nos nós da estrutura discretizada e para cada carregamento.

Sapata Discretizada em Nós, Barras e Vínculos Elásticos - Gráficos

Sapata Discretizada em Nós, Barras e Vínculos Elásticos - Relatórios

Recalques

Os recalques em cada ponto da estrutura discretizada e para cada carregamento são obtidos do resultado do processamento do pórtico espacial. A apresentação dos valores é feita de forma alfanumérica ou gráfica. Envoltórias também são efetuadas. Exemplo de relatório:

Graficamente temos do pórtico espacial:

Outra representação gráfica de isovalores com a pintura de regiões:

Capacidade de Carga - Solo

As sapatas isoladas e associadas possuem a sua capacidade resistente verificada para o contato com o solo, através de dois métodos de tensões admissíveis conforme previsto na NBR 6122:1996: tabela de tensões básicas e correlação empírica pelo SPT. A apresentação dos resultados é feita através do relatório abaixo onde também é realizada uma comparação com as tensões atuantes e aviso indicativo onde a tensão admissível é ultrapassada. Também regiões de tração nas sapatas são assinaladas.

Isovalores de Pressão

Uma forma prática fácil de verificar o estado de pressões em todos os pontos de um conjunto de sapatas isoladas ou associadas é a visualização dos isovalores de pressões. Abaixo temos uma representação destas curvas e, também, um gráfico ilustrativo legendado sobre a intensidade das pressões.

Fluxograma

O fluxograma desenvolvido especialmente para este módulo propicia o entendimento da operação do SISEs para o projeto de sapatas considerando a interação solo-estrutura.